Como limpar válvula EGR - EXHAUST GAS RECIRCULATION

02/12/2014 16:10

Limpeza da Válvula EGR 

Como evitar a substituição da válvula EGR? Solução eficaz com o método Carbon Cleaning Sistem.

Porque é que a válvula de EGR fica preta (suja) com fuligem
 
Faça uma descarbonização primeiro por apenas 65,00€. Pode assim evitar gastar centenas de euros.


A válvula EGR  destina-se a arrefecer o gás de escape através da queima de uma segunda vez no sistema de admissão, a fim de reduzir as emissões de oxi azoto. Por princípio de gás de recirculação, a válvula EGR cria depósitos de partículas na entrada. Estes depósitos acumulados transformar em uma camada preta (escala), que pode causar várias falhas e problemas no motor.
 
O processo desta operação válvula EGR torna mais rápida incrustação do motor.A fuligem é formada pela passagem dos gases de escape para a admissão, e mesmo na própria válvula EGR, estes podem causar vários problemas. Injetores, e partes sensíveis caras do motor pode ser parcialmente obstruído. Esta fuligem pode impedir a abertura e fecho da EGR. Se ele se mantiver na posição fechada, ficará completamente inactiva. O veículo continuará a funcionar corretamente, mas emitem mais óxidos de nitrogênio do que toleradas pelas normas da União Europeia. Em contraste, se a válvula EGR permanece aberta, o motor sofrer mais incrustação de admissão. Ao longo do tempo, o veículo vai perder o poder de a aceleração, tornando-se excessivamente poluente e será motivo de reprova a quando da inspeção anual. Instabilidade repetida do motor e comportamento anormal são sinais a não ignorar.O principal motivo de falha ou mau funcionamento da válvula EGR é devido ao acúmulo de sujidade e fuligem.
 Remova este problema!
 

Veja abaixo como funciona a válvula EGR e avarias a que estão expostos, esta válvula é continuamente submetida a altas temperaturas e a sujidade aderente a fuligem vestígios de óleo, provocando problemas graves, especialmente em veículos com motores a diesel.

As decisões da válvula EGR não compromete a segurança do veículo, mas a vida do motor será menor além de provocar níveis de poluição mais nocivos ao ambiente e saúde pública.

O problema mais comum é dado por a contaminação devida a fuligem e fuligem contendo gases de escape. De fato, 15% dos veículos sob garantia são enviados para os nossos serviços por este motivo. A razão é que o carro que normalmente circula na cidade ou faz entradas e saídas frequentes no para arranca, faz com que a função EGR em baixas rotações e atua mais frequentemente, mantendo aberta mais tempo do que o recomendado impedindo a pressão adequada para manter limpa a válvula e os gases de escape e dutos de admissão na qual está ligado.

Outra causa a agravar este problema são os vestígios de óleo, devido à movimentação excessiva dos mesmos pela admissão , o que poderia vir a partir do uso de rolamentos, tubos entupidos turbo ou falhas do sistema purgar o virabrequim. Também os resíduos oleosos que causam pegamento criando assim os depósitos de carbono.

Tendo filtros de ar e de combustível gasto ou injectores sujos dificulta ainda mais a recirculação dos gases através da válvula EGR.

 

 

 

A recirculação de gases de escape é um conceito utilizado nos motores dos automóveis desde a década de setenta com o objectivo de reduzir as emissões de NOx.

O controlo das emissões dos gases de escape continua a ser um problema de todos os motores de combustão, sejam eles a gasolina ou diesel. Os fabricantes têm hoje em dia maiores preocupações ambientais e incorporam nos automóveis diversos sistemas para reduzir essas emissões. Um dos compostos que faz parte das emissões dos motores é o NOx. Este composto formado por uma molécula de nitrogénio e outra de oxigénio decorre da temperatura elevada no interior da camara de combustão associado à presença de oxigénio e atinge o seu valor mais elevado quando a mistura ar combustível é levemente pobre, ou seja, próxima da relação estequiométrica (14,7:1). Para reduzir os óxidos de nitrogénio (NOx) utilizam-se os sistemas de recirculação dos gases de escape.

Está provado que a recirculação de uma parte dos gases de escape (entre 20 a 30%) na mistura admitida nos cilindros permite reduzir a pressão média efectiva do motor e em consequência disso a temperatura máxima dentro da câmara de combustão também reduz, pelo que, nestas circunstâncias, a formação de óxidos de nitrogénio é mais pequena.

Para que a percentagem dos gases de escape reintroduzidos na admissão seja a mais aconselhável e não ultrapasse a percentagem referida anteriormente, util iza-se uma válvula especial, mais conhecida por EGR (Exhaust Gas Recirculation). A função desta válvula é controlar o fluxo dos meios complementares directamente ligados ao sistema de gestão do motor.

esquema funcionamento egr Válvula EGR (Exhaust Gas Recirculation)

Ao reintroduzir gases de escape, que s ão pobres em oxigénio, no motor estamos a reduzir o teor de oxigénio do ar introduzido nos cilindros.

Os gases de escape provenientes da EGR, quando combinados com os vapores de óleo que vêm do Carter, formam uma mistura pastosa, estreitando a passagem do ar de admissão aos cilindros, provocando um estrangulamento das prestações.

A grande desvantagem deste sistema, reside no facto de que ao entrar na admissão grande quantidade de gases de escape, todo o colector de admissão ficará sujo, levando o motor a perder eficácia prematuramente.

Evite este problema, com o nosso método de remoção de sujidade em todo o circuito de admissão até ao escape dos gases!

 
Valor de serviço de remoção de sugidade, fuligem e a carbonização do motor: varia de (65€ a 100€)* 
 
 

Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados Pessoais (RGPD)

Ler mais: https://www.motor-energy-clean.pt/aminhaconta/regulamento-geral-sobre-a-protecao-de-dados-pessoais-rgpd/